SOCORRO 24H 0800 601 4055

Área do associado
Lembrar senha

Como conservar a pintura do seu carro

Como conservar a pintura do seu carro

As pessoas que compram carros pretendem mantê-los por muito tempo. Segundo informações da IHS Automotive, os carros em circulação hoje têm uma idade média de 11,5 anos, o que é um recorde.

Essa tendência tem muito a ver com o fato de que os veículos de hoje são fabricados para durar. Eles oferecem qualidade e confiabilidade aprimoradas e fornecem desempenho duradouro.

Os proprietários de automóveis sabem que podem prolongar a vida útil de seus veículos, prestando atenção quando se trata de manutenção regular. Mas um aspecto que muitas vezes é ignorado é a tinta. Certos riscos comuns podem afetar a pintura do seu carro. Isso pode ter um efeito negativo não apenas na aparência, mas também no valor de revenda.

Como conservar a pintura do seu carro

Existem etapas que você pode seguir para proteger a pintura do seu carro. Abaixo, listamos algumas dicas.

Lave regularmente

Entre em uma rotina regular de lavar o carro adequadamente. Lavar seu carro uma vez por semana remove qualquer sujeira que ele possa ter pegado na estrada e evita que ele cause danos duradouros ao acabamento. Certifique-se de usar um sabão que não seja muito duro com sua pintura. Além disso, sempre use um pano separado para limpar as rodas, para evitar esfregar a poeira do freio na superfície.

Seque seu carro corretamente

Deixar o carro secar ao sol certamente é fácil, mas definitivamente não é bom para a pintura. Quando as gotas de água evaporam, elas deixam quaisquer minerais ou sujeira que possam estar segurando – ou seja, é como se você mal lavasse o carro.

Areia e sujeira podem arranhar e danificar sua pintura, levando a uma aparência opaca e desbotada, que é o oposto do que você deseja.

Remova todas as manchas imediatamente

Manchas causadas por diferentes motivos enquanto você está no trânsito são desagradáveis, mas há mais de uma razão pela qual você deve limpá-las imediatamente.

Esses elementos não apenas podem se tornar muito mais difíceis de remover após secar e endurecer, mas também podem conter ácidos que prejudicam o acabamento do seu carro. Use um pano com sabão neutro e muita água para esfregar suavemente essas manchas antes que elas possam endurecer e causar danos à pintura do seu carro.

Calor no trânsito: cuidados ao dirigir no verão

2020 chegou e como é tradicional em janeiro, as temperaturas dispararam por todo o Brasil. O Rio de Janeiro, por exemplo, chegou a registrar sensação térmica próxima de 50ºC.

Essa época coincide com as férias escolares e muitas famílias aproveitam o mês para fazer viagens e curtir o clima quente. Diante disso, cuidados são necessários para que tudo aconteça de forma saudável e consciente. E esses cuidados vão além do que você imagina, pois o calor excessivo pode fazer mal para você e seu carro.

Abaixo, vamos dar algumas dicas para que você dirija com segurança no verão, mantendo da melhor forma possível a sua saúde e a do seu veículo.

Cuidados ao dirigir no verão

A primeira dica é um pouco difícil de ser seguida por todos, mas ainda assim é importante ser mencionada. O forte calor está com incidência solar ainda maior durante o período entre 11h e 17h e é recomendável que se evite as estradas nesse espaço de tempo.

Caso não seja possível escapar do trânsito nesse horário, tome alguns precauções: se hidrate tomando água com frequência, use protetor solar e óculos escuros. Além disso, outras recomendações básicas também precisam ser seguidas: não dirija se estiver se sentindo cansado e nem consuma alimentos muito pesados e gordurosos.

Cuidados com o carro no calor

As altas temperaturas do verão podem afetar a todos – e tudo, inclusive o seu carro. O calor extremo pode levar um carro a ultrapassar seus limites, o que pode causar sérios problemas. As dicas a seguir podem ajudar você a evitar se tornar um desses motoristas em apuros.

Verifique se a bateria está preparada para altas temperaturas

Problemas de bateria nem sempre ocorrem no inverno. De fato, o calor do verão pode ter um impacto mais negativo na bateria do que o frio do inverno. Calor e vibração são os piores inimigos de uma bateria, causando avaria interna e eventual falha. Embora você não possa fazer muito a respeito do calor, verifique se a bateria está montada com segurança para minimizar a vibração.

Mantenha seu motor fresco

Os sistemas de refrigeração protegem os motores contra superaquecimento e devem ser lavados periodicamente, conforme recomendado pelo fabricante do veículo. Entre as descargas, verifique se o líquido de arrefecimento está cheio no nível adequado, verificando o reservatório de transbordamento.

Mantenha seus pneus calibrados

Dirigir com pneus insuflados pode causar superaquecimento e aumentar a probabilidade de uma explosão, especialmente quando as temperaturas da estrada são extremamente altas. Verifique a pressão dos pneus do seu carro (incluindo a de reposição) pelo menos uma vez por mês, porque os pneus normalmente perdem cerca de um quilo de pressão por mês devido à infiltração normal.

Aplicativos alertam motoristas sobre a necessidade de recall

Os recalls são realizados quando as empresas identificam defeitos de fábrica em seus produtos, que precisam ser ajustados depois de usar um risco à segurança dos consumidores.

Já falamos sobre recall em um artigo aqui do blog. Para ler e saber como funciona, clique aqui .

A novidade é que agora, ou o proprietário que precisar fazer um recall será avisado pelos aplicativos Carteira Digital de Trânsito (CDT) e Sistema de Notificação Eletrônica (SNE), que também poderá pagar como multas de trânsito com até 40% de desconto. O Portal de Serviços do Governo Federal (Gov.br) e o site Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) também informam sobre o recall. Além de serem informadas por meio dessas plataformas digitais, os usuários dos veículos continuam sendo convocados pela TV, rádio ou carta.

As novas regras foram anunciadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública para garantir mais eficiência ao atendimento de recalls e já estão em vigor desde outubro. Como as alterações fazem parte da Portaria Interministerial, o que criou o Serviço de Notificação de Rechamada.

Os pedidos de automóveis não serão avisados ??sobre recall apenas por aplicativos. Aqueles que não atendem ao chamado dentro do prazo de um ano serão notificados sobre pendência registrada no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), que servirá de alerta para o próximo dono. Caso a versão em papel do licenciamento obrigatório contenha informações de recall em aberto e o proprietário realize o reparo depois, esse alerta será excluído apenas no licenciamento a seguir. Se o consumidor quiser retirar essa informação, a única maneira será liberada uma segunda via via CRLV e custo com os custos.

Outra mudança é que as empresas podem disponibilizar sites oficiais, como informações sobre recalls de produtos durante no mínimo cinco anos. Além disso, elas precisam informar a Secretaria Nacional do Consumidor, de imediato, sempre que identificarem a necessidade de investigar possíveis defeitos em seus produtos. Elas ainda apresentam um planejamento detalhado para campanhas preventivas. O “aviso de risco” será enviado por e-mail para os consumidores que possuam cadastro ativo no portal de serviços do Denatran.

Por que as regras sofreram alterações?

Como as alterações nas normas foram feitas no intuito de aumentar o índice de atendimento das campanhas e também reduzir as chances de acidentes.

De acordo com o Ministério da Justiça entre 2014 e 2018, dos 9,5 milhões de automóveis envolvidos nos recalls, apenas 4,6 milhões passaram pelo conserto.

O baixo comparador de chamadas é mais um dos motivos que influenciam nas alterações feitas pelo governo. Apenas 48% dos consumidores atendem aos pedidos de recall de automóveis. No caso de caminhões, esse percentual cai para 39% e, no autopeças, para 14,7%. Um total de 21,2 milhões de produtos que chamaram de recall em um país, em diversas áreas, pouco mais de 5,2 milhões de pedidos (24,8%) foram atendidos.

Desde 2014, foram realizadas 701 campanhas de chamada para recalls em todo o país. No total, 517 (73,75%) foram de automóveis; 72 (10,27%) para motociclistas e 16 (2,28%) para caminhões.

Em seguida, estão os recalls para alimentos, com 14 campanhas (2%); seguidos de acessórios de informática com 11 campanhas (1,56%); bicicletas, nove campanhas; medicamentos, oito campanhas e produtos infantis, seis campanhas.

Como era feita a convocação de recall

Antes das portas, como as montadoras eram obrigadas a revisar os donos de um veículo em recall por carta e isso dificulta a comunicação. Como fabricantes alegaram que apenas os dados do primeiro comprador do veículo. Depois que esses veículos eram transferidos para outros usuários, eles não sabiam qual o nome do veículo registrado, por não ter acesso à Renavan.

O que mudou

Para facilitar, resumos abaixo como novas regras definidas pelas Portarias:

  • CRLV passa a trazer inscrição sobre recalls pendentes;
  • Regra vale para campanhas não atendidas mais de um ano após o início;
  • Montadoras hospedadas responsáveis ??por agregar informações de recall ao Renavam;
  • Denatran agora vai emitir “aviso de risco” por meios eletrônicos;

O que diz a lei

De acordo com a Lei no. 8.078 / 90 (Código de Defesa do Consumidor – CDC), os produtos e serviços permitidos no mercado de consumo devem garantir a segurança dos consumos:

Artigo 10 – O fornecedor não pode colocar no mercado produto de consumo ou serviço que saiba ou deve saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade na saúde ou segurança.

  1.  O fornecedor de produtos e serviços que, posteriormente à sua introdução no mercado de consumo, tiver conhecimento de periculosidade que apresentar, enviar ou comunicar o fato de que as autoridades são competentes e usam, usando publicitários.
  2. Os pedidos públicos consultados ou os parágrafos anteriores serão veiculados na imprensa, rádio e televisão, às despesas do fornecedor do produto ou serviço.
  3. Sempre que tiver conhecimento de produtos ou serviços de saúde ou segurança de consumo, na União, nos Estados Unidos, no Distrito Federal e nos Municípios registrados informações sobre o respeito.

Como consultar se o veículo tem recall

Para saber se o seu automóvel está na lista de um recall, é simples. Basta consultar os sites regionais do Procon, que possui um banco de dados com todas as chamadas realizadas.

O site do Denatran  também permite consultar ou recuperar uma montadora. Ainda há páginas das montadoras, onde é possível acessar todas as informações sobre seu modelo.

 

 

Tranquei a chave dentro do carro, e agora?

Às vezes nos distraímos e cometemos alguns pequenos erros como, por exemplo, esquecer a chave dentro do carro. Depois pode até ser engraçado, mas na hora em que esse tipo de acidente acontece pode ser um pouco desesperador, afinal, não podemos entrar no nosso próprio carro!

Tentar abrir o carro sem chave pode ser bem difícil e cansativo, mas tem jeito! O primeiro passo e mais importante é manter a calma na situação. Respire fundo, pois só assim será capaz de raciocinar e encontrar uma solução.

Para a alegria dos distraídos, existem várias maneiras de abrir a porta mesmo com a chave dentro do carro. Alguns itens simples que costumamos ter a mão, como um barbante ou arame, por exemplo, podem ajudar a solucionar o problema caso você não tenha a chave reserva em mãos. Separamos algumas dicas para te ajudar no momento de sufoco, confira!

Abrindo a porta mesmo com a chave dentro do carro

  • Barbante ou cadarço de tênis: pegue um pedaço longo de um destes materiais e dê um nó bem firme na ponta. Direcione o nó até o pino da porta e puxe para cima para destravar. Mas vale ressaltar que esta alternativa requer destreza e principalmente, paciência. Isto porque pode demorar um pouco para dar certo já que você precisa ter uma boa mira para encaixar o nó no pino.
  • Arame: faça um gancho na ponta de um arame. Depois retire cuidadosamente o batente de borracha da porta. Em seguida coloque o arame dentro do carro e puxe a maçaneta.
  • Vareta e chave de fenda: crie um vão com a chave e pressione a trava com a vareta.
  • Bola de tênis: você pode estar achando este item curioso, mas pode dar certo. Se por acaso estiver com uma bola de tênis, faça um buraco nela. Em seguida, coloque a bola sobre o buraco da fechadura e empurre. A força do ar que sai do interior da bola pode ajudar a destravar a porta.
  • Espátula: insira a espátula ou uma alavanca de metal criando um vão na porta. Daí é só você empurrar a ferramenta e levantar a trava.
  • Cabide: estique o cabide até deixar o reto, preservando ou ganhando a ponta. Em seguida, passe ou cabide entre uma janela e proteção de borracha e aproxime-se do canto do vidro. Mova o gancho até alcançar a lava e depois puxe-a para cima para destravar.

Observação: cuidado ao tentar arrombar portas de veículos mais novos, pois pode danificar os fios elétricos que ficam na lataria. Além disso, o carro pode alarme ou correr o risco de ativar-lo por acidente.

Entrando pelo porta malas

Você também pode ter a sorte de abrir uma porta. Se estiver, é possível acessar o interior do carro. Faça o seguinte:

  • Primeiramente, encontre o cabo de emergência do carro, ele ficará no teto ou na porta.
  • Puxe este cordão para gravar os assentos traseiros do veículo.
  • Entre no carro por este espaço. Passe por cima dos assentos e, enfim, pegue a sua chave.

Procurar o chaveiro mais próximo

Se as gambiarras acima não resolverem ou perturbarem a chave dentro do carro, você poderá procurar o próximo passo. Ele é o profissional mais indicado, pois possui ferramentas e habilidades para abrir a porta do seu automóvel sem causar nenhum tipo de dano ao veículo.

Problema resolvido!

Agora que o pior já passou, é muito importante se prevenir para não passar novamente pela mesma situação. Qualquer distração de nossa parte pode fazer o problema se repetir. Por isso, faça mais uma cópia da chave. Deixe sempre a mão, para facilitar o acesso a ela e principalmente, evitar o seu esquecimento. Afinal, nunca se sabe quando precisar de uma reserva-chave, não é o mesmo?

E deixamos mais uma dica muito importante para sua segurança pessoal. Se você estiver em um local que julgar ser perigoso, a melhor opção é, ao tentar tentar esses truques, ativar algum profissional para resolver uma questão da maneira mais rápida possível. No entanto, se estiver em um lugar mais tranquilo, vale a pena tentar uma das alternativas necessárias.

Enfim, um carro é bom, mas pode gerar estresse em situações como esta. Quem nunca teve problema ao esquecer uma chave dentro do carro? É tenso, mas muito comum. A situação piora ainda mais quando você não tem nenhuma das alternativas disponíveis para ajudar a abrir uma porta.

Caso isso ocorra, busque ajuda. Por isso, é uma boa proteção veicular para tirar essas e outras situações de sufoco. Nós do Lions não queremos que você passe por isso, mas se precisar, conte conosco, teremos prazer em ajudar!

 

Acompanhe a Lions pelas redes sociais e fique por dentro de tudo, Facebook e Instagram.

 

 

Mitos e verdades sobre carros

A invenção do automóvel foi um momento crucial para a humanidade. Não só tivemos uma nova maneira de escalar grandes distâncias confortavelmente, mas também deu origem a veículos mais complexos, como caminhões. Os carros são uma das razões por trás do rápido progresso da humanidade ao longo do último século, pois nos permitiram ir aonde outros modos de transporte mais antigos não podiam.

Apesar de os carros serem tão amplamente utilizados, muitos de nós sabemos muito pouco sobre como eles realmente funcionam. Muitas das coisas que achamos que sabemos sobre carros estão erradas e não passam de mitos espalhados pelo senso comum.

Confira quatro mitos e verdades sobre carros

Usar o ar condicionado aumenta o consumo de combustível: verdade!

Pois é. Costuma ficar muito quente dentro do carro e a alternativa mais plausível é ligar o ar condicionado. Muito se fala por aí que esse uso do ar condicionado aumenta o consumo do combustível e é verdade. Dependendo da escala de uso, pode aumentar em até 20% o consumo.

Para usar etanol no inverno, precisa aquecer o carro antes de usar: mito!

Isso passa longe de ser necessário, seja para carros novos ou mais antigos. Os veículos novos possuem sistema de gerenciamento eletrônico que garante o desempenho, seja quente ou frio. Já os antigos possuem um pequeno tanque auxiliar para dar a partida no frio. O importante é ter gasolina no reservatório.

Descansar o pé na embreagem prejudica o seu carro: verdade!

Manter seu pé no pedal de embreagem em momentos desnecessários irá provocar um desgaste maior das peças. A que sairá mais prejudicada será o disco da embreagem. Elimine esse hábito caso não queira ter problemas inesperados ao engatar as marchas.

Deixar o carro em ponto morto em descidas economiza combustível: mito!

A chamada “banguela” não traz economia. Os carros que possuem injeção eletrônica tem um sistema que identifica que não precisa injetar combustível e interrompe o fluxo que vem do tanque.