SOCORRO 24H 0800 601 4055

Área do associado
Lembrar senha

LIONS PV

Como transportar crianças com segurança

Transportar crianças com segurança – Uma coisa pode ter certeza: crianças adoram passear de carro durante o final de semana e sempre a diversão toma conta. Porém, devemos lembrar que é responsabilidade do motorista garantir a segurança deste passeio e saber como transportar crianças no carro é fundamental, tanto para elas quanto para os outros ocupantes do veiculo.

Na década de 90, muitos pais devem lembrar que os passeios eram feitos com as crianças sentadas no banco de trás, sem nenhuma proteção. Os equipamentos só passaram a ser exigidos em 97 pelo Código Brasileiro de Trânsito.

Mesmo com toda essa segurança atualmente exigida, no Brasil, pelo menos duas crianças morrem por dia em acidentes de trânsito.

O respeito à lei não é apenas burocracia legal, é a segurança da sua família que está em jogo, por isso, é muito importante conhecer as leis, normas e ter consciência.

Quer saber como transportar crianças de forma correta e segura? Separamos algumas dicas:

A lei determina que crianças inferiores a 10 anos estejam sempre no banco traseiro, com equipamentos compatíveis com idade e peso. Dispositivo este, que são fundamentais para evitar, em caso de acidente, a criança seja arremessada para fora do veiculo.

Além disso, diminui a chance de danos à coluna vertebral e cabeça. Ajudando também a desacelerar o corpo no momento da colisão.

Lembrando que, transportar crianças, menores de 10 anos, sem os dispositivos necessários é infração gravíssima, gerando multa de 7 pontos na carteira do condutor.

Contudo, as leis do CONTRAN permanecem as mesmas, o que muda, são os equipamentos de acordo com peso e idade da criança a ser transportada.

Um dado importante: ao transportar crianças devidamente, ela tem 71% de sobreviver a um acidente de carro.

O que não deve fazer ao transportar crianças no carro

Muito criticado, o cinto de segurança foi projetado para ser usado em pessoas adultas, com no mínimo 1,45m e altura. Por isso, transportar crianças apenas com este dispositivo gera multa e perda de pontos na carteira.

O cinto de segurança para os bebês e crianças é grande demais e não consegue desempenhar a função para a qual foi criado, com eficiência e tornam-se incômodos para os pequenos. Em caso de colisão, as crianças podem ser arremessadas do carro por não estarem devidamente seguras, ou podem sofrer contusões graves provocadas pelo mau uso do equipamento.

O colo não é uma opção segura para transportar crianças. Em caso de acidente, é impossível segurá-los corretamente. É muito comum, e errado, dividir o cinto de segurança com uma criança. O peso do adulto tende a esmaga-la contra a parte da frente do veiculo, caso colida.

Então como transportar crianças com segurança?

Dividida em três categorias, as cadeirinhas, e são exigidas pelo Código Brasileiro de Trânsito. Conheça:

  • Bebê-conforto: para crianças de 1 ano de idade com até 10 kg. Deve ser posicionado de forma que a criança fique olhando para trás do veiculo, evitando lesões no pescoço em caso de batida frontal.
  • Cadeirinha: crianças de 1 e 4 anos passam a usar o assento virado para a frente do veiculo.
  • Assento de elevação: acima de 4 anos, a criança passa a usar este assento que a deixa na altura do cinto de segurança. Só deve ser utilizado caso a criança já tenha o tamanho suficiente para que o cinto não fique próximo ao pescoço.

Qual comprar?

O mercado oferece vários tipos de modelos, por isso, é necessário que avalie a idade e o peso da criança pra escolher o ideal. Não se esqueça do conforto do pequeno.

É muito importante sobre transportar crianças no carro é: selo do Inmetro. Garante a procedência e a segurança do transporte das crianças.

Dica: antes de começar o passeio, certifique-se que todos os passageiros estão devidamente em seus lugares e usando seu dispositivo de segurança bem colocado e ajustado.

Bebês e crianças só devem ser retirados das cadeirinhas ou de seus assentos após a chegada ao destino, com o carro desligado e , por último, sempre ler o manual do fabricante, nele existem informações importantes para a utilização do produto.

Gostou dessas dicas de como transportar crianças com segurança? Para ficar por dentro, fique ligado também nas nossas redes sociais: Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn.

Sensor de ponto cego: Como funciona e os benefícios

Sensor de Ponto Cego – Todo motorista sabe que deve ter cuidado ao dirigir e que nem sempre conseguimos visualizar o que ocorre ao lado ou por detrás do veículo. Porém, foi criada uma tecnologia chamada sensor de ponto cego que promete ajudar a diminuir os riscos.

Como funciona?

A ideia é evitar os problemas causados por falta de visibilidade nos espelhos. Contudo, diminuiu a chance de colisão, ajudando assim em manobras mais precisas aumentando seu campo de visão.

Por meio de uma pequena luz, que é acesa no espelho retrovisor, ela avisa ao condutor se há ou não algum objeto ou veículo se aproximando fora do teu campo de visão.

São dois leds no sensor de ponto cego, que piscam nas cores verde, quando não há obstáculos, e vermelha, alertando a presença de outros corpos. Um aviso sonoro também é emitido quando detecta algo, por isso, evita-se uma colisão, mesmo que o motorista não veja o objeto.

Como evitar o ponto cego?

É importantíssimo posicionar os espelhos adequadamente, independentemente se você contar ou não com o sensor, para evitar problemas.

Portanto, considere que o sistema que estamos abordando neste post é complementar às capacidades do motorista. Portanto, é fundamental evitar riscos.

Para isso, tenha sempre em mente que o ponto cego é sempre lateral e traseiro. Por isso, é essencial que o motorista regule bem os bancos, retrovisores, pedais para que o corpo esteja bem posicionado e as costas bem apoiadas no encosto.

Seguindo essas dicas, você aumenta a sua visibilidade e diminui a chances de colisões. Contudo, um sensor de ponto cego é uma tecnologia importante e que traz uma diferença no seu carro.

Depois de conhecer melhor sobre o sensor de ponto cego, aproveite e veja 5 itens que são obrigatórios nos automóveis e conhecer as outras tecnologias.

Os benefícios de ter um sensor de ponto cego, listamos a seguir.

Quais as vantagens de ter um sensor?

As vantagens de se adquirir um carro com sensor de ponto cego ou instalar um, estão ligadas ao conforto e a segurança do motorista.

Além disso, facilita as manobras para estacionar, nas ultrapassagens e reduz o índice de acidentes.

Os atropelamentos, infelizmente, ainda são comuns e causados por falta de atenção ou de visão. É muito comum, dentro de garagens, por falta de visibilidade.

Para veículos utilitários e os com pouca visibilidade traseira, o sensor de ponto cego é uma ferramenta válida para diminuir esses incidentes.

Conhece algum modelo de veículo com sensor de ponto cego?

O condutor que opta por um carro com esse acessório, vai encontrar diversos modelos e preços em lojas especializadas.

Os fabricantes de sensor de ponto cego, no Brasil, oferecem sistemas de 4 pontos ou 8 pontos.

Além disso, no mercado brasileiro, os modelos mais comuns estão os sensores com sinais sonoros. Quando o veículo se aproxima de um obstáculo, o motorista é avisado a partir de “bips”, que vão se tornando mais intensos com a aproximação do objeto.

Existe também o sensor de estacionamento que conta com um display, instalado no painel do veículo, no qual o motorista pode ver a distância e a direção dos obstáculos mais próximos.

E aí, gostou do artigo?

Para continuar recebendo essas dicas e informações você também pode seguir a Lions nas redes sociais: Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn.

Então, não perca mais tempo!

Proteção Veicular em São Paulo – Tudo que você precisa saber

Proteção Veicular em São Paulo – Ano após ano com a quantidade de veículos circulando pelas cidades e o alto índice de acidentes de trânsito, além de roubos e furtos, os números de veículos furtados e roubados têm aumentado gradativamente.

Por mês, só na cidade de São Paulo, cerca de 3.800 veículos são roubados, aproximadamente, sendo que a maioria é roubado à noite, período preferido dos ladrões.

Por isso, a busca pela proteção veicular em São Paulo tem aumentado, e os clientes estão cada vez mais procurando qualidade e associações que preocupem realmente com os seus associados.

Por esta razão, vamos dar algumas dicas sobre  tudo que você precisa saber sobre proteção veicular.

O que é proteção veicular?

A proteção veicular é a forma de proteger seu veiculo de uma maneira benéfica. Este serviço funciona a partir de um rateio, que neste sistema os associados dividem entre si os custos mensais dos casos ocorridos no período (roubos, furtos, colisões, entre outros). O valor, geralmente, é bem menor que um seguro convencional e com menos burocracia.

Serviço esse, administrado por uma associação e o número de associados pode influenciar no custo mensal. Porém, o valor das mensalidades, raramente, é definido pelo número de associados, envolvendo outros fatores, por exemplos, a quantidade de eventos ocorridos naquele mês exato.

Clique aqui e saiba mais sobre veiculo protegido.

Como faço para ter uma proteção veicular em São Paulo?

Como São Paulo é a maior metrópole do país, o motorista tem que estar sempre atento na proteção de seu veículo. O que as seguradoras oferecem de benefícios, cobertura, vantagens e o custo beneficio que isso vai ocasionar no bolso.

Você pode fazer a cotação de sua proteção veicular em São Paulo no site, pelo 0800 609 1350 ou ir pessoalmente na sede da associação.

Com isto, a proteção veicular oferece um custo mais acessível sem pecar na segurança ou qualidade se comparado aos seguros tradicionais.

 

Cotação de Proteção Veicular

Outros benefícios e vantagens da proteção veicular em São Paulo

 

As associações:

  • Não possui burocracia desnecessária nas negociações e nem na restituição. Típico dos seguros tradicionais, caso tenha se envolvido em algum acidente de trânsito ou então o carro tenha sido roubado.
  • Assistência 24 horas seja ela para um socorro mecânico ou técnico, chaveiro, reboque, troca de pneus, retirada de veículo do buraco e motorista substituto.
  • Descontos para quem deseja realizar o rastreamento ou monitoramento do veículo. Para saber onde ele está, quantos quilômetros percorreu e qual a velocidade média.
  • Descontos em alguns estabelecimentos como farmácias, postos de combustível, mecânicas, entre outros. (Serviço a ser consultado com a prestadora)
  • Proteção contra terceiros, devido à parceria da associação com empresas do ramo, com custo reduzido.

Estas vantagens podem variar de acordo com cada associação que está oferecendo a proteção veicular.

É seguro contratar uma proteção veicular em São Paulo?

Como todo tipo de serviço oferecido, ao contratar uma proteção veicular, certifique-se que a associação possui experiência, idoneidade e uma base consistente de associados. O motorista deve buscar uma entidade renomada para não cair em armadilhas e golpes.

5 passos para você contratar uma proteção veicular em São Paulo

Como a proteção veicular é uma boa alternativa para evitar os preços absurdos de seguradoras tradicionais, avalie bem a associação. Abaixo listamos cinco passos para que você escolha o melhor lugar.

  1. Vá até a associação: procure conhecer mais de uma associação, entenda os benefícios que elas oferecem e não se prenda apenas ao valor. Também é importante olhar a idoneidade da associação e se os serviços oferecidos são respeitados.
  2. Parcerias: uma vez que descobrir os parceiros da cooperativa, você pode pesquisar sobre a qualidade dos serviços e o pagamento.
  3. Qualidade das oficinas: é importante saber não apenas a quantidade de oficinas parceiras, mas também a qualidade delas, para ter certeza que seu veículo terá um bom conserto.
  4. Procure informações: confira a reputação da associação, o que os outros associados falam sobre os serviços prestados, se a cooperativa responde as reclamações e o grau de satisfação dos clientes.
  5. Faça a vistoria: é importante realizar a vistoria prévia do veículo para saber quais as suas reais condições. Dê preferência para profissionais capacitados e de qualidade.

Depois de feita essa análise, você deve ler bem o contrato e observar se os seus direitos e deveres como associado está descrito corretamente. Em caso de duvidas, entre em contato com a associação.

Gostaram das nossas informações sobre proteção veicular em São Paulo? Para não perder nenhuma de nossas dicas fique de olho no nosso Site, Facebook, Instagram, Youtube e LinkedIn.

 

Dicas para evitar o roubo e furto do seu carro

O número de roubo e furto de veículos têm aumentado cada dia mais no país. Só no estado de São Paulo, são roubados por mês cerca de 3.800 veículos, sendo que o período da noite é o preferido dos ladrões.

Por isso se faz tão necessário ter uma proteção veicular de qualidade, que se preocupe realmente com seus associados. A Lions Proteção Veicular é esse tipo de associação, nós nos preocupamos com nossos associados.

Por esse motivo, vamos dar algumas dicas para evitar o roubo e o furto do seu carro. Continue lendo!

Procure estacionar em lugares movimentados e bem iluminados

Os ladrões possuem estratégias quando cometem roubos e furtos. Por isso, lembre-se que deixar seu carro estacionado em ruas desertas e escuras pode ser perigoso.

O ideal é deixar seu veículo sempre próximo de porteiros e câmeras. Caso isso não seja possível, deixe pelo menos em um lugar movimentado e com boa iluminação.

Não deixe nada de valor no carro que possa ocasionar o roubo e furto

Os bandidos passam observando o que tem dentro dos carros, e quando encontra algum objeto de valor eles arrumam um jeito de furtar. Por isso, nunca deixe dentro do carro:

  • GPS;
  • roupas;
  • bolsas;
  • sacolas;
  • sapatos;
  • som, sempre que possível retirar a frente do som.

Tenha o hábito de sempre guardar os objetos no porta-malas. Dessa forma você evita o roubo e furto do seu veículo.

Verifique se o carro foi trancado e se as janelas estão devidamente fechadas.
Muitos motoristas têm o hábito de não conferir o fechamento do carro, principalmente quando o veículo é fechado diretamente por um botão na chave. Isso é um grande erro, muitas vezes o fechamento pode não funcionar, facilitando assim o roubo e furto do veículo.

Lembre-se: mesmo que o seu veículo tenha alarme e feche diretamente pelo botão na chave, você precisa conferir se a posta está trancada e as janelas bem fechadas.

Mantenha-se atento quando estiver parado no trânsito

Os assaltantes ficam muito próximos dos semáforos, esperando o momento em que eles fecham e os motoristas ficam distraídos. Por isso, lembre-se de sempre subir os vidros ao parar no sinal vermelho. Fazendo isso você evita que o ladrão passe e enfie a mão pela janela, podendo levar o celular ou até a bolsa.

Cuidado ao chegar em casa

Ao chegar em casa, esteja sempre atento ao movimento da rua, observe se não há nada diferente da rotina. Abra o portão sempre quando estiver parado na porta. Caso tenha algum carro passando na hora ou pedestre espere um pouco, dê uma volta no quarteirão e se sentir que algo está fora do costume acione o 190.

Tenha uma proteção veicular

Uma coisa é certa, mesmo seguindo todas essas orientações, ninguém está isento de ter seu veículo tomado por roubo ou furto. Por isso, pense bem antes de deixar o seu carro desprotegido. A proteção veicular é o método mais seguro para proteger seu veículo. Além disso é muito mais barato que um seguro.

Com a proteção veicular você conta com vários serviços que podem ser muito uteis no seu dia a dia, como por exemplo:

  • Reboque;
  • Chaveiro;
  • Auxílio mecânico e para pane seca;
  • Auxílio para troca de pneus e muito mais.

Ter uma proteção veicular não é questão de luxo e sim de proteção, saiba quais são os riscos de não ter o seu carro protegido.. Com a Lions Proteção Veicular você pode contar, afinal de proteção nós entendemos muito bem.

Para saber mais sobre nossa proteção é muito simples, basta fazer sua cotação e um de nossos representantes entrará em contato para sanar todas as suas dúvidas.

Venha para a Lions, faça parte da maior associação de proteção veicular do Brasil!

Acesse nossas redes sociais: Facebook, Instagram e LinkedIn.

Como fazer o rodízio de pneus? Veja!

Se você presta atenção no seu carro, já deve ter percebido a necessidade de fazer o rodízio de pneus. Essa ação é precisa porque o desgaste é diferente — além de ser uma boa forma de aproveitar ao máximo a vida útil da borracha.

O rodízio é, portanto, parte da manutenção veicular, tão necessária para manter a sua segurança e a qualidade da condução. O que você talvez não saiba é que a desatenção com esse aspecto pode gerar grandes prejuízos, que incluem aumento do gasto de combustível.

Porém, mais que fazer o rodízio dos pneus, é necessário saber qual a melhor maneira de colocar essa ideia em prática. É o que vamos mostrar neste post.

Confira!

 

Os tipos de tração existentes

A troca dos pneus depende de uma boa análise da tração do veículo. Essa informação está descrita no manual e depende do fabricante. Os modelos encontrados são:

Tração dianteira

Essa categoria inclui os carros de passeio, que são mais comuns no País. Por serem mais utilizados e estarem submetidos a mais esforços, os pneus da frente costumam desgastar mais que os traseiros.

Isso acontece devido às forças sujeitas ao torque do motor, esforço para girar o volante, frear, acelerar e outros fatores. De toda forma, o gasto maior é nos pneus dianteiros.

Tração traseira

Nesse caso, o motor aciona apenas as rodas traseiras. Esse modelo exige um espaço maior para o eixo do motor e as rodas. Por isso, é preciso de um túnel ou chassi mais alto. A tração traseira distribui o peso de maneira mais equilibrada e também o transfere melhor durante a aceleração.

Tração inteira

Esse formato é a tração nas quatro rodas, o famoso 4×4. Seu sistema de transmissão distribui a força do motor para todos os pneus, a fim de melhorar a aderência.

Cotação de Proteção Veicular

 

As boas práticas para o rodízio de pneus

Como vimos, a tração do veículo é essencial na hora de fazer o rodízio. Veja o que fazer em cada um dos casos:

  • traseira: os pneus de trás vão para frente em linha reta. Portanto, o lado nunca deve ser trocado. Como consequência, os dianteiros ficam na posição traseira;
  • dianteira: os pneus de trás são colocados na frente com o lado invertido, por exemplo, o traseiro esquerdo vai para a dianteira direita. Os dianteiros, por sua vez, vão para trás em linha reta, ou seja, sem trocar de lado;
  • Inteira: a troca é feita em formato de X;
  • pneu unidirecional: esses sempre são trocados em linha reta. Os da frente vão para trás e vice-versa.

Lembre-se de, assim que fazer esse procedimento, realizar a calibragem, o balanceamento e o alinhamento. Somente dessa forma você assegura a estabilidade de direção.

Caso o carro tenha diferença de tamanho nas rodas, como ocorre em alguns modelos da BMW, por exemplo, é importante falar com um mecânico qualificado. Em algumas situações, o rodízio de pneus é desaconselhado.

Além disso, é importante seguir outras duas dicas:

  • deixar de lado o estepe de fábrica, porque ele vem em tamanho menor. Por isso, não pode participar do rodízio;
  • nunca trocar entre si os pneus com tamanhos diferentes.

Ao seguir essas dicas, as chances do rodízio de pneus dar certo são maiores. Com isso, você tem um veículo que funciona bem e gasta menos, porque aumenta o uso dos pneus.

Agora que você já sabe o que fazer, que tal saber como proteger seu carro ainda mais? Conheça 5 diferenças entre seguro e proteção veicular.