SOCORRO 24H 0800 601 4055

Área do associado
Lembrar senha

Como fazer o rodízio de pneus? Veja!

Se você presta atenção no seu carro, já deve ter percebido a necessidade de fazer o rodízio de pneus. Essa ação é precisa porque o desgaste é diferente — além de ser uma boa forma de aproveitar ao máximo a vida útil da borracha.

O rodízio é, portanto, parte da manutenção veicular, tão necessária para manter a sua segurança e a qualidade da condução. O que você talvez não saiba é que a desatenção com esse aspecto pode gerar grandes prejuízos, que incluem aumento do gasto de combustível.

Porém, mais que fazer o rodízio dos pneus, é necessário saber qual a melhor maneira de colocar essa ideia em prática. É o que vamos mostrar neste post.

Confira!

 

Os tipos de tração existentes

A troca dos pneus depende de uma boa análise da tração do veículo. Essa informação está descrita no manual e depende do fabricante. Os modelos encontrados são:

Tração dianteira

Essa categoria inclui os carros de passeio, que são mais comuns no País. Por serem mais utilizados e estarem submetidos a mais esforços, os pneus da frente costumam desgastar mais que os traseiros.

Isso acontece devido às forças sujeitas ao torque do motor, esforço para girar o volante, frear, acelerar e outros fatores. De toda forma, o gasto maior é nos pneus dianteiros.

Tração traseira

Nesse caso, o motor aciona apenas as rodas traseiras. Esse modelo exige um espaço maior para o eixo do motor e as rodas. Por isso, é preciso de um túnel ou chassi mais alto. A tração traseira distribui o peso de maneira mais equilibrada e também o transfere melhor durante a aceleração.

Tração inteira

Esse formato é a tração nas quatro rodas, o famoso 4×4. Seu sistema de transmissão distribui a força do motor para todos os pneus, a fim de melhorar a aderência.

Cotação de Proteção Veicular

 

As boas práticas para o rodízio de pneus

Como vimos, a tração do veículo é essencial na hora de fazer o rodízio. Veja o que fazer em cada um dos casos:

  • traseira: os pneus de trás vão para frente em linha reta. Portanto, o lado nunca deve ser trocado. Como consequência, os dianteiros ficam na posição traseira;
  • dianteira: os pneus de trás são colocados na frente com o lado invertido, por exemplo, o traseiro esquerdo vai para a dianteira direita. Os dianteiros, por sua vez, vão para trás em linha reta, ou seja, sem trocar de lado;
  • Inteira: a troca é feita em formato de X;
  • pneu unidirecional: esses sempre são trocados em linha reta. Os da frente vão para trás e vice-versa.

Lembre-se de, assim que fazer esse procedimento, realizar a calibragem, o balanceamento e o alinhamento. Somente dessa forma você assegura a estabilidade de direção.

Caso o carro tenha diferença de tamanho nas rodas, como ocorre em alguns modelos da BMW, por exemplo, é importante falar com um mecânico qualificado. Em algumas situações, o rodízio de pneus é desaconselhado.

Além disso, é importante seguir outras duas dicas:

  • deixar de lado o estepe de fábrica, porque ele vem em tamanho menor. Por isso, não pode participar do rodízio;
  • nunca trocar entre si os pneus com tamanhos diferentes.

Ao seguir essas dicas, as chances do rodízio de pneus dar certo são maiores. Com isso, você tem um veículo que funciona bem e gasta menos, porque aumenta o uso dos pneus.

Agora que você já sabe o que fazer, que tal saber como proteger seu carro ainda mais? Conheça 5 diferenças entre seguro e proteção veicular.