Central de Atendimento
0800 609 1350

(Área do associado)
Lembrar senha

Vale a pena comprar um carro importado?

Na hora de escolher um novo veículo, sempre surge a dúvida: é melhor comprar um carro importado ou nacional? Há quem defenda que os automóveis estrangeiros são mais duráveis e econômicos, além de apresentarem um custo-benefício melhor. Será mesmo?

A verdade é que um carro importado é o sonho de consumo de milhões de brasileiros. Representa status, é confortável e oferece alto desempenho. No entanto, é preciso atentar a outros detalhes.

Neste post apresentamos os principais aspectos a considerar antes de escolher um veículo importado em detrimento do nacional. Confira!

O que avaliar antes de comprar um carro importado?

Os veículos fabricados em outros países têm algumas diferenças em relação aos nacionais. Identificar essas questões é essencial para tomar uma decisão consciente.

Veja, a seguir, quais são os detalhes a analisar.

Taxas

A tributação de um veículo importado é alta por conta das regras impostas pela Receita Federal. De acordo com esse quesito, é mais caro comprar um carro importado que optar por um nacional.

As alíquotas aplicadas são as seguintes:

  • 37% para os carros com motores flex até 1.0;
  • 43% para motores a gasolina entre 1.0 e 2.0;
  • 41% para motores flex entre 1.0 e 2.0;
  • 55% para motores a gasolina acima de 2.0;
  • 48% para motores flex superiores a 2.0.

Na prática, esses percentuais podem aumentar o valor de um carro em até R$100 mil, a depender do modelo. Além disso, há outros tributos, como:

  • ICMS: entre 17% e 19%;
  • PIS/Cofins: 11,6%;
  • IPI: entre 7% e 25%, de acordo com a motorização.

Despesas extras

O carro importado costuma ser mais caro que o nacional e também tem mais gastos de manutenção. As peças de reposição e a revisão periódica são mais caras. Portanto, é preciso levar em conta esse aspecto, principalmente se o veículo já for usado.

O valor da proteção veicular também se torna mais elevado devido ao preço do bem. Outro fator que considera esse quesito é o IPVA.

 

O que avaliar antes de fechar a compra de um carro importado?

Se o carro for usado ou seminovo, é importante levar a um mecânico especializado para avaliar as condições das peças principais, como suspensão, motor e caixa de marchas. Se for novo, é válido atentar a outros detalhes, como a disponibilidade de peças de reposição.

Verifique se consegue encontrar facilmente, se o mecânico é de sua confiança trabalha com elas e o preço dos itens. Além disso, vale a pena optar por veículos zero ou com menos de 50 mil quilômetros rodados.

Essa recomendação é importante,  porque esses carros são menos usados, por isso, há menor chance de manutenção e de necessidade de reposição de peças.

Além disso, analise ainda se o veículo tem histórico de acidentes. Leve o automóvel ao mecânico de sua confiança e confira sinais negativos, como desalinhamento das portas e problemas na pintura do carro.

Outra dica relevante é consultar o chassi no Detran para ter certeza de que está tudo correto. Por último, faça um test-drive detalhado para garantir que o veículo se sai bem em diversas pistas e é confortável perante as irregularidades. Nesse processo, confira o conforto, a dirigibilidade e a potência — afinal, esses quesitos interferem o dia a dia.

Ao tomar esses cuidados, você pode sobretudo comprar um carro importado e fazer uma escolha acertada. Porém, se houver limitações no seu orçamento ou problemas com algum desses quesitos, opte pelo nacional. É você que precisa determinar o que é mais indicado na sua situação.

Agora que você entende mais sobre veículos importados, que tal compreender uma de suas funcionalidades mais comuns? Conheça o câmbio automático e veja 5 cuidados que você precisa ter.

Além disso, você pode seguir a Lions nas redes sociais e ficar muito mais informado: Facebook, Instagram e LinkedIn.