Central de Atendimento
0800 609 1350

(Área do associado)
Lembrar senha

O que é controle de estabilidade?

Você já reparou em um símbolo no seu carro com um automóvel e dois riscos em formato de S? Esse é o aviso do controle de estabilidade, um dispositivo eletrônico presente em alguns automóveis e que se tornará obrigatório a partir de 2022.

Conhecido pelas siglas ESP, VSA e ESC, esse recurso é essencial para trazer segurança a motorista e passageiros, especialmente quando a pista está molhada. Apesar de sua importância, nem todo mundo sabe o que ele significa e para quais situações é válido.

É por isso que vamos abordar o assunto neste post. Então, que tal saber mais sobre essa funcionalidade e entender de que forma ela ajuda a manter seu veículo na estrada?

 

O controle de estabilidade e seu funcionamento

O controle de estabilidade é um recurso que avalia, por meio de sensores, a trajetória do automóvel e os movimentos do volante. Caso alguma situação diferente seja identificada, os freios das rodas são ativados para cortar o torque do motor e evitar um acidente. Por isso, todo veículo com ESP tem ABS.

Para entender melhor o funcionamento, as rodas, a direção e o eixo longitudinal do automóvel têm sensores ligados. Assim, é identificado quando o movimento está em sentido diferente ao esperado. É possível chegar a essa conclusão com a ajuda de 25 leituras por segundo, que comparam a condução ao trajeto assumido pelo veículo quando ele derrapou ou perdeu a direção da dianteira.

Por meio dessas leituras, o sensor faz o módulo aliviar a tração do motor. O freio ABS é ativado na roda indicada para fazer o veículo retomar sua trajetória. Com esse comportamento, o ESP evita perder o controle do carro em situações de risco. Por exemplo, desvios bruscos de rotas, curvas fechadas e pisos escorregadios.

Devido ao seu funcionamento, o total de acidentes fatais chega a ser reduzido em 43%. Além disso, 83% dos capotamentos de SUVs foram evitados por conta desse dispositivo. Portanto, mesmo que seja possível desativá-lo, é indicado não fazer isso.

A importância do controle de estabilidade

Mesmo que você ache esse recurso dispensável, ele é fundamental em casos de emergência. Nessas situações, é difícil corrigir a trajetória do veículo. Portanto, o ESP traz mais segurança.

É por isso que a lei brasileira colocou como item obrigatório para veículos a partir de 2020. Nessa primeira fase, valerá apenas para os veículos novos ou que passaram por grandes mudanças. Ou seja, que foram homologados a partir da data de validade da resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Em 2022, todos os 0 km terão o ESP como obrigatório, até para os lançados antes da lei entrar em vigor. Assim, haverá uma segurança maior para motoristas e condutores, além de menos acidentes e mortes.

Um exemplo do controle de estabilidade na prática

Imagine que você passa na frente de um cruzamento e, de repente, outro veículo surge na sua trajetória e exige um desvio brusco. O volante é virado para a esquerda, mas ainda assim é insuficiente para evitar a colisão.

Sem o ESP, o automóvel não obedece ao comando. Com o recurso, a roda traseira esquerda é freada e a trajetória do carro é modificada de maneira automática.

Outro exemplo é a subida de uma ladeira em uma rua de paralelepípedo molhado. O ESP freia uma ou duas rodas com o objetivo de garantir o atrito necessário para o automóvel seguir em frente sem problemas.

Agora você já sabe como o controle de estabilidade funciona e qual é sua função para o veículo. Por isso, se seu automóvel ainda não tem esse recurso, vale a pena verificar essa opção da próxima vez que adquirir um carro.

Além do ESP, é preciso atentar a outros detalhes para manter a segurança do veículo. Dois deles são alinhamento e o balanceamento. Veja o que são e como são feitos.