Central de Atendimento
0800 609 1350

(Área do associado)
Lembrar senha

A importância da manutenção de freios em carros e motos

Você já pensou sobre a importância de fazer a manutenção de freios no seu veículo? O sistema de frenagem é o componente principal para evitar acidentes e garantir sobretudo a segurança de condutor e passageiros.

Ainda assim, há motoristas que ignoram os sinais do carro ou da moto em caso de problemas.

Além disso, existe outra parcela de pessoas que fazem a manutenção emergencial, mas esquecem a preventiva.

Para explicar melhor o cenário e mostrar por quais motivos ficar atento, neste post vamos explicar melhor sobre os freios e seus componentes. Confira!

Por que fazer a manutenção de freios?

Todo automóvel conta com um sistema de frenagem. Os mais recentes têm o modelo ABS, que é mais seguro.

Ainda existem outros modelos, que asseguram sobretudo uma locomoção segura e tranquila. Nas motos, por exemplo, os mais comuns são os freios a tambor e a disco.

Os primeiros são menos eficientes e encontrados em motos de baixa cilindrada. Por terem menos capacidade de dissipar calor, requerem manutenção constante.

É importante entender que, quanto mais complexo for o sistema devido à tecnologia, mais deve ser realizada manutenção preventiva, especialmente porque o número de componentes é maior.

Assim, com a identificação antecipada do problema, é mais fácil resolvê-lo. De toda forma, é essencial atentar ao desgaste do sistema de freios, que é natural.

Quando fazer a manutenção de freios preventiva?

O melhor é consultar o manual do fabricante para verificar a recomendação. Cada um deles tem uma informação específica, porque o modelo do carro tem componentes diferentes no sistema de freios. Entre os principais estão:

  • pedal;
  • servo freio (hidrovácuo);
  • fluido de freio;
  • cilindro mestre;
  • mangueiras e canos;
  • pastilhas de freios e lonas;
  • discos de freio e tambores.

Cada um deles tem um tipo diferente de desgaste. A partir disso, é preciso fazer reparos específicos ou até a substituição de peças.

É importante saber que, de modo geral, a manutenção precisa ser feita a cada 10 mil km.

Ainda assim, vale a pena consultar o manual. Mais que isso, é preciso atentar aos sinais do veículo. Caso perceba alguma alteração, é melhor passar no mecânico da sua confiança para fazer uma avaliação.

Lembre-se de que a pastilha e o disco de freio merecem passar por uma atenção especial. Faça revisões periódicas do automóvel e fique sempre de olho nessas peças.

Como identificar problemas no sistema de frenagem?

O automóvel mostra vários sinais de que os freios e outros componentes estão com problemas. Veja quais são os mais comuns!

Trepidação no volante

O volante tremendo indica problemas no carro. Uma das possibilidades é o disco de freio empenado.

Barulho de ferro

O barulho de ferro batendo nas frenagens indica a necessidade de substituir as pastilhas de freio. É necessário fazer a troca o quanto antes para manter a eficiência do sistema.

Pedal de freio baixo

O pedal muito baixo, geralmente, é derivado da falta de fluido — que aparece no painel — ou por conta de algum problema com o cilindro mestre ou o servo.

Pedais enrijecidos

O pedal pesado, que causa dificuldade ao pisar, costuma ter a ver com o servo freio. Nesse caso, é preciso trocar o componente. Também é importante fazer uma verificação a cada 120 mil e 200 mil km.

Por fim, tenha em mente que as pastilhas de freio devem ser trocadas entre 10 mil e 20 mil km. Caso utilize o automóvel em cidades grandes, com trânsito pesado e que exigem frenagens frequentes, esse período pode ser encurtado.

Com essas dicas, você consegue fazer a manutenção de freios em carros e motos da forma precisa e manter a sua segurança. Então, observe o manual do fabricante e siga as sugestões repassadas. Isso vai proteger a sua vida!

Para complementar seu conhecimento sobre o assunto, aproveite e leia sobre como funciona o freio do carro.

Além disso, você pode seguir a Lions nas redes sociais: Facebook e Instagram