Área do associado
Lembrar senha

Proteção de Carros em Associações, Como Funciona?

Algumas pessoas costumam confundir os termos Seguro de Cooperativa e Proteção Veicular, por entenderem que se tratam de coisas diferentes.

As cooperativas de seguros representam os nomes populares atribuídos às associações de proteção veicular, portanto, é a mesma coisa. É importante ficar atento, apenas para não confundir com seguro veicular. Lembre-se que, na Proteção Veicular, o prejuízo é dividido entre os associados, já nas seguradoras convencionais as despesas são pessoais, tornando os prejuízos bem maiores.

A Proteção Veicular é uma forma super econômica de proteger seu carro. A economia do cliente pode chegar de 40% a 70% em relação a um seguro convencional. Quem tem por objetivo evitar imprevistos, manter o veículo e ainda ganhar diversos benefícios, pode contar com a Proteção Veicular.

Com valor mais acessível, as Associações de Proteção Veicular oferecem, em geral proteção em caso de roubo, furto, colisão, incêndio e fenômenos naturais); Ah… outras vantagens também, tais como, assistência 24 horas e parceria com empresas de diversos segmentos. Essas vantagens variam de acordo com a proposta de cada Associação.

Mas, como funciona a Proteção Veicular?

O funcionamento da Proteção Veicular é bem simples!

Um grupo de pessoas reúne-se e decide ratear as despesas decorrentes de alguma ocorrência com um dos cooperados. Para garantir que haja legalidade da operação, as cooperativas possuem um estatuto próprio e registro em cartório. Estes documentos também são a garantia ao associado, que pode recorrer à Justiça, caso ocorra algum problema. As Associações de Proteção Veicular são legais, pois são constituídas e amparadas pelo Código Civil Brasileiro e Constituição Federal.

Vale ressaltar também que as Associações de Proteção Veicular não se baseiam em estereótipos para determinar o orçamento dos seus serviços, como é feito nas seguradoras convencionais. Informações como idade, sexo e tempo de habilitação são irrelevantes nesse tipo de serviço. Sendo assim, todos os associados dividem as despesas igualmente. Todavia, o condutor deve cumprir as leis de trânsito e não atrasar as mensalidades.

A proteção é imediata e o processo de adesão é rápido. Os associados devem assinar um acordo de cooperação mútua, sem necessidade de adesão à apólices.

E o risco? Como fica esta questão?

A principal diferença entre as Associações de Proteção Veicular e as seguradoras convencionais é a transferência de risco. Quando o cliente contrata uma apólice de seguro, o risco é transferido para a seguradora, que cobra um alto valor para isto. Já nas Associações de Proteção Veicular, o associado assina um termo de responsabilidade mútua e divide os riscos com os demais associados.

Como é calculado o valor da proteção veicular?

Outra diferença entre as Associações de Proteção Veicular e as seguradoras é a forma de cálculo e contratação.

Nas associações de proteção veicular não se leva em consideração o perfil do condutor do veículo. Não é avaliado o sexo, estado civil ou idade do motorista. O cálculo é feito sob o valor do veículo.

Nas seguradoras existe a adesão de uma apólice, é avaliado o perfil do condutor e a situação do sinistro. O processo é bem burocrático.

Concluindo, os termos de associação e cooperativa de proteção automotiva, se referem em geral à mesma iniciativa que são as Associações de Proteção Veicular, onde cada associação possui seu estatuto, sua estrutura e rede de benefícios oferecidos.